Vida de Mamãe Moderna Rotina Archives - Vida de Mamãe Moderna
12
jan/2017
É possível criar uma rotina de sono para o seu bebê?

Porque criar uma rotina de sono é tão difícil para os bebês? Quando tive a Sophia, lembro que pensei que nunca mais voltaria a ter uma noite de sono tranquilamente. Quem nunca passou por essa fase que atire a primeira pedra.

Confesso que não sou a melhor pessoal para falar sobre o assunto, porque isso é tema para profissional, portanto, chamei a minha queria amiga Gabriela Miranda, que além de idealizadora do Blog Bossa Mãe, também é Consultora do Sono do bebê e possui um programa de assessoria especializada no assunto.

Sophia dormindo ainda quando era uma bebezica.

 

Fiz algumas perguntas específicas para tirar a grande dúvida de várias mamães, afinal é possível criar uma rotina de sono para o seu bebê? Vamos as respostas da Gabriela Miranda (GM) abaixo:

1 – Porque algumas crianças dormem a noite toda e outras não?

GM: Porque cada bebê é de um jeito. E cada família também, tendo hábitos diferentes umas das outras. O comum é o bebê que acorda para mamar, trocar fralda, fome ou por qualquer outro desconforto.

2 – Porque as crianças demoram a ter uma rotina do sono?

GM: Isso varia de criança para criança. Além dos hábitos e rotina que cada família possui. Cada idade necessita de uma quantidade de tempo para descanso. Os recém-nascidos praticamente dormem o tempo todo. Por volta dos 5 meses o bebê dorme mais durante a noite e passa tirar sonecas durante o dia. Mas por exemplo, todos os bebês produzem de forma desregulada a melatonia – um neuro-hormônio relacionado a regulação do sono e a partir do 5º mês de vida é possível ter uma rotina do sono melhor.

3 – É possível criar uma rotina do sono desde o nascimento do bebê?

GM: É possível criar bons hábitos de sono desde o primeiro dia de vida do bebê e programar uma rotina seguindo as atividades sempre no mesmo horário até para que o bebê aprenda a distinguir dia e noite.. Porém, não podemos esperar que os recém-nascidos atendam bem a rotina, pois é tudo muito novo para eles, inclusive os hormônios agem de forma diferente nos primeiros meses. Mas a regularidade da rotina é possível partir do 5º mês de vida do bebê, quando é possível obter resultados significativos na qualidade de sono noturna da criança.

4 – Deixar o bebê chorando no berço o educa para dormir sozinho?

GM: Deixar o bebê chorar é uma forma cruel de ensinar um hábito que deve ser algo bom. Dormir é um momento de relaxamento e por isso precisa de práticas que transmitam tranquilidade. Sono é um hábito e se aprende como tantas outras coisas, através de repetição. Fazer uma criança dormir requer muita paciência e, sobretudo carinho.

5 – Como posso fazer meu bebê dormir sozinho?

GM: Existe várias formas de fazer o bebê dormir sozinho. Como disse acima, requer muita paciência e carinho. É preciso investigar o motivo pelo qual a criança não dorme sozinha. Não existe uma receita pronta para solucionar esse problema, mas pode ser solucionado através de uma análise e de forma individual, pois cada bebê é único e cada família também. Minha dica principal é: não compare seu bebê com o da amiga, do vizinho, da sua irmã, pois cada bebê é de um jeito.

6 – O que é ser uma consultora do sono?

GM: A consultora do sono é uma profissional especializada que ajuda promover um ambiente que contribua para melhorias de sono da criança, consequentemente da família toda. A consultora do sono não é uma profissional da saúde, não prescreve receitas, nem trata ou diagnostica doenças. É uma profissional especializada em sono infantil e com formação específica.

7 – E como funciona essa consultoria?

GM: A consultoria do sono é um serviço de atendimento personalizado em que o especialista em sono avalia a rotina atual da família e da criança, identifica os fatores que estão impedindo a criança de dormir melhor, orienta os pais sobre como funciona o sono, o que é comum e o que não é, monta um plano de sono e orienta esses pais sobre o que fazer em casa. O atendimento pode ser presencial ou via internet, através de skype. O conceito principal do método é repeitar o bebê e ensiná-lo com amor que ele tem capacidade para dormir sozinho ou em seu berço. A consulta dará ferramentas para que os pais promovam melhorias no sono do bebê, ajudando-os a estabelecerem bons hábitos de sono, que resultarão na qualidade do sono da criança.

Amei as respostas e tirou muito das minhas dúvidas e vocês? Tem mais alguma dúvida sobre a rotina do sono? Mais informações sobre o sono do bebê e consultoria, entre em contato com Gabriela Miranda, através do e-mail: [email protected]

Espero que tenham gostado da entrevista.

Um grande beijo,
Kah



13
out/2016
Eu sou uma super mãe

super-mae

O que é ser uma super mãe? É se dedicar 24 horas do dia para seu filho? É abandonar carreira ou qualquer realização pessoal para dar prioridade apenas ao bebê? É abdicar da beleza e vaidade por um título?

Não, não, mil vezes não. Hoje em dia vejo muitas mães se anulando pela maternidade e isso não significa que você é mais ou menos mãe do que muitas outras por aí.

Eu vejo que a maternidade é ampla e perfeita quando estamos felizes e realizadas, independente se está ou não 24 horas com seu filho.

Eu posso fizer que já passei por todas as fases da maternidade, dá mãe 24 horas por dia, dá mãe culpada por trabalhar fora, dá mãe relaxada por contratar uma babá e agora encarei a realidade e desencanei de tudo. Hoje já posso dizer que sim, eu sou uma super mãe.

Rotina de Mãe

Vou contar um pouquinho das minhas rotinas e como eu era antes de chegar ao que sou hoje, mas antes de tudo, já informo que esse é o meu modo de pensar e ninguém precisa concordar ok? Estou apenas tentando ajudar algumas mães que se perdem no meio do caminho da maternidade e quero ajudá-las a encontrar seu lugar ao sol.

Rotina de Mãe 24 horas por dia: Minha vida se resumia a cuidar da Sophia, da casa, algumas (poucas) saídas, afinal apenas 1 renda em casa não tem como sair esbanjando tudo. Me sentia algumas vezes deprimida e muitas vezes me culpava de não ser perfeita, de estar fora do peso, de não querer me arrumar tanto, mas me sentia plena como mãe, mas não era 100% feliz, faltava algo.

Como eu era como esposa: Chata, controladora, se o marido demorava meia hora a mais para chegar em casa eu reclamava, cobrava muito dele, cobrava que queria sair mais, cobrava ajuda,  mas ao mesmo tempo pensava que era minha responsabilidade tudo em relação a Sophia, já que “ficava em casa”.

Rotina de Mãe que acabou de voltar a trabalhar sem ajuda: Minha vida era desorganizada, corrida, mas estava feliz com o retorno ao mercado, me sentia ainda mais culpada por deixar minha filha na escola em período integral e sentia que a casa estava largada. Ainda não estava 100% feliz, mas estava caminhando, pois agora podia fazer mais planos para o futuro, mas ao mesmo tempo me sentia muitas vezes perdida com a rotina.

Como eu era como esposa: Estava mais compreensiva, já não me importava tanto assim com o horário, porque até eu me perdia um pouco nos controles, já estava mais alegre, mas ainda ajeitando as coisas. As vezes tínhamos muitas brigas pela falta de rotina e cobranças por ambas as partes, marido me cobrava e eu o cobrava de ajuda.

Rotina de Mãe com ajuda (atual): Hoje tenho uma ajudante em casa todos os dias, a casa é organizada e não preciso mais me preocupar com limpeza, a Sophia adaptada a estudar meio período, não me culpo mais por ela passar tanto tempo no colégio, a rotina foi estabelecida e meu horário com ela são aos finais de semana e todos os dias a noite, não me sinto mais tão culpada por trabalhar fora e também tenho um tempo só pra mim como mulher, criei uma rotina que não impacta o andamento da casa (treino as 6 da manhã quando todos dormem) e me sinto muito mais plena e realizada.

Como eu sou como esposa: Estamos em uma fase muito boa no casamento, de parceria. Quando estamos feliz, ajuda muito no casamento que fica muito mais harmonioso. Ele entende minhas necessidades e eu entendo as dele. Claro que sempre rola umas DR em casa, mas sempre prevalece a parceria.

super-mae2Não estou falando que para ser feliz precisamos de empregada ou não, estou falando que cada um tem suas necessidades, eu sou aquele tipo de mulher que NÃO CONSEGUE FICAR EM CASA.

Eu aprendi que para ser feliz, preciso ser livre, ter minhas responsabilidades em casa e fora dela. Não consigo ser 8 ou 80, ou totalmente mãe ou totalmente profissional, a Sophia chegou para somar em minha vida e aprendi que eu estando feliz, minha filha e meu marido estão felizes também.

Aprendi que a felicidade depende de cada um de nós, e novamente, hoje eu sou uma super mãe, mesmo não estando 100% do meu dia em casa, mas as poucas horas que fico são muito bem aproveitadas e isso me faz plena e realizada.

Cada fase acima que mencionei levou mais ou menos 1 ano, Sophia hoje está com 4 anos, então, não tem tempo certo para mudar sua vida e sempre pensar no melhor, pensem nisso, sempre há tempo de mudar.

E vocês? se sentem realizadas? Gostaria que casa um parasse para pensar naquilo que as deixem felizes, como falei, o que é bom para mim, não precisa ser bom para vocês. Tenho várias amigas que se sentem plena e realizadas sendo donas de casa e apoio muito cada uma. O que eu sempre desejo a todos, é a felicidade plena.

Minha mensagem final é: Lutem pela felicidade, independente do estilo de vida que possuem ou desejam ter, faça planos, incluam o marido em tudo, pois juntos vocês serão muito mais fortes. E sejam felizes!

Beijos,
Kah



20
jul/2016
As mães também precisam de ajuda.

mae cansada

Não sei quem criou o rótulo “mãe perfeita”. Sempre escutei que mãe que é mãe, dá conta de tudo, trabalha, limpa a casa, cuida do marido, cuida dos pets, cuida da família.. ahhhhhhhh já parou pra pensar o quanto a palavra mãe é falado? Mas para, as mães também precisam de ajuda, sabia?

Eu me cobrava muito quando a Sophia nasceu e sinceramente, me cobro até hoje, mas melhorei, sim melhorei e muito a minha forma de pensar e aprendi que cada mãe é de um jeito e sinceramente, descobri que não era totalmente feliz quando ficava somente em casa.

Eu também larguei meu emprego quando a Sophia nasceu, como muitas mães fazem hoje em dia. Sim eu desisti da maternidade exclusiva quando a Sophia fez 1 ano e não, não abri mão de ajuda em casa. Porque sim, as mães também precisam de ajuda e descobri com a maturidade que nem toda mãe é feliz igualmente.

Precisamos entender que julgar não é o melhor caminho, cada mãe é de um jeito e não existe mãe perfeita. A profissão mãe é cansativa, demanda tempo, paciência e muita organização de tempo. Devemos saber a hora certa de pedir ajuda e é nisso que pecamos, não sabemos pedir.

Lembro que quando a Sophia tinha 1 mês, eu estava exausta com as mamadas noturnas, lembro que em uma das noites pedi ao meu marido depois de muito relutar se ele podia dar a mamadeira para a Sophia e ele disse sim, pensei: porque não pedi antes? sabe o porque? porque achamos que tudo é responsabilidade da mãe e não, não é.

Toda profissão tem que ter seu tempo de folga e isso aprendi também com o tempo, eu precisava de um tempo só pra mim. Egoísta? no começo achava que sim, mas não. Não é justo com a mãe ficar trancada em casa e não ter um tempo só para si. Porque quando estamos cansadas, não somos as melhores mãe, isso sim que eu aprendi.

Aprendi também que quando estou feliz, descansada e realizada, minha vida e minha paciência é muito melhor com a milha filha, então volta a dizer, as mães também precisam de ajuda. Temos que pedir ajuda ao pai, a vovó, ao vovô, mas devemos aprender a pedir, a saber os nossos limites.

Não estou aqui para ensinar a ser uma mãe perfeita, porque isso minha amiga, não existe, mas posso te mostrar o caminho da felicidade, e uma coisa te falo, você não precisa fazer tudo sozinha, divida, compartilha com seu parceiro. Você será muito mais feliz. Estamos juntas nessa!

Beijos,
Kah



2
abr/2015
5 dicas para seu bebê dormir melhor

5 dicas para o bebe dormir

Escutamos tanto na gravidez para dormirmos bem, pois após o nascimento do bebê o que menos faremos é dormir que dá até desespero, não é? Mas não se desesperem, separei 5 dicas para seu bebê dormir melhor e ajudar a mamãe nessa fase.

1 – Temperatura do Ambiente: Quando se trata do quarto do bebê, as mães acabam exagerando, portanto um quarto quente demais não é confortável para dormir, mas confira também se o ar-condicionado não está frio demais. Uma boa ideia, se o clima estiver bom, é abrir a janela. Se tiver um termostato, defina a temperatura entre 18º C e 21º C

2 – Roupa confortável para dormir: Quando o bebê é muito novinho, acabamos deixando ele dormir com a mesma roupa que passou o dia, aquelas com babadinhos, adereços e literalmente não é bacana. Excesso de roupa ou pouca roupa não ajudam na hora de um sono tranquilo. Um pijaminha gostoso, com bom tecido é ideal para uma boa noite de sono, lembrando que o bebê sempre precisa de uma camada a mais de roupa do que os adultos.

3 – Bloqueio de Luz: Quarto do bebê pede um dimmer nos interruptores, assim você pode proporcionar um ambiente bem aconchegante na medida para o seu bebê. Verifique a possibilidade de instalar persianas para impedir a entrada da luz no início da manhã também.  Comece a diminuir a luz quanto estiver preparando seu bebê para ir para a cama, escurecendo mais o ambiente à medida que a hora de dormir se aproxima.

4 – Aumente o volume do ambiente: Nem todo bebê gosta de silêncio e ter um som constante ajuda na hora de dormir e evitar que qualquer barulho acorde o bebê. Você pode usar música, como um CD com sons da natureza. Alguns bebês dormem melhor com a máquina de lavar roupa ou o aspirador ligado, vai por mim, dá certo! Não deixe de fazer a sua rotina de tarefas domésticas quando ele estiver tirando uma soneca diurna ou mesmo à noite.

5 – Ambiente aconchegante: O quarto do bebê deve ter um ambiente bem agradável, portanto, tente colocar um tapete no chão (aqueles para bebês) cobrindo toda a área ajudará a aquecer o quarto e criará um espaço adequado para brincar no chão. Tapetes e carpetes também podem ajudar a abafar ruídos, contribuindo para o silêncio do ambiente.

E aí, preparadas para proporcionar um ambiente especial e aconchegante ao seu bebê? Espero que tenham gostado das dicas e boa sorte com as noites de sono.

Beijinhos,
Kah