Vida de Mamãe Moderna desabafo de mãe Archives - Vida de Mamãe Moderna
22
jun/2017
Porque tudo é com a mãe?

Confesso que estou um pouco cansada dessa sociedade em que vivemos, na qual tudo tem que ser feito pela mãe e a pergunta desse post é: Porque tudo é com a mãe? Já pararam para pensar que nem tudo precisa ficar unicamente exclusivo com a mãe?

Hoje em dia, a sociedade continua extremamente machista e eu me revolto com muitos comentários realizado pelas próprias mulheres sobre divisão de atividades.

Não, a mãe que trabalha em casa, não é obrigada a cuidar 24 horas das crianças, a mãe que fica dedicada com a casa, também merece ter seu tempo de lazer, a mesma mãe que corre o dia todo, está tão ou até mais cansada que o marido que ficou o dia todo no escritório.

Eu falo isso por experiência própria, pois já fui mãe 24 horas e também já fui profissional e te digo, não há trabalho mais cansativo do que o trabalho do lar.

Isso mesmo, então quando o pai chega em casa a noite falando que está cansado e não quer brincar com as crianças, a mãe tem sim que se posicionar, porque ela também está cansada, afinal, trabalhou o dia todo também e no pesado, mas tem uma diferença aí, o pai teve a sua 1 hora de almoço, tranquilo, enquanto a mãe, tentava colocar uniforme em um, finalizar o almoço e quem sabe conseguir almoçar uma comida quente, não é mesmo?

As tarefas precisam ser divididas, as mães também tem o direito de sair com as amigas (não precisa sair para o futebol, mas podem sim ter uma noite off).

Para os casais que trabalham fora, pior ainda, me vejo muitas vezes tendo que resolver problemas sozinha da Sophia, não estou falando que o marido não ajuda, mas sim, sobra muito mais para a mãe. Tenho que me adaptar aos horários do colégio, ballet, fono e muito mais.

Parei para pensar o porque tudo isso não pode ser dividido com o pai? Porque só a mãe quem entra no grupo de WhatsApp do colégio dos filhos?

Ontem precisei de ajuda e pedi ao marido: Você pode buscar a Sophia no ballet, a resposta que tive foi: Não! Engoli o ódio que me subiu e só falei: ok, então ela não vai. Resumindo, ele acabou indo busca-la no ballet, mas ainda estou com aquela sensação do porque ele não falou de primeira: Claro amor, posso te ajudar.

A sociedade não vai mudar, se nós não mudarmos. Temos sim que dividir as tarefas, temos sim que nos posicionar, temos sim cobrar que PAI NÃO AJUDA, PAI FAZ SUA OBRIGAÇÃO DE PAI.

Não temos que aceitar tudo caladas, chega de sociedade machista na qual a mulher que deve ter obrigações com a casa, não temos que ter obrigações, temos que dividir tarefas. 

Não importa quem lava a louça ou quem faz a comida, não importa quem ganha mais, não importa quem coloca os filhos para dormir, o que importa é que tem que ter uma divisão de tarefas, independente se é feito pelo pai e pela mãe.

Vamos nos unir mulherada, menos machismo e mais união. Quando vocês conseguirem fazer um final de semana off da criançada, me chame para passar um feedback, tenho certeza que será super positivo. Chega de culpa materna, pais felizes = filhos felizes e vice versa.

Um grande beijo,
Kah



17
abr/2017
Mãe 24 horas por dia

A difícil tarefa em ser mãe, esposa, profissional, filha, tudo junto e misturado 24 horas por dia. Nossa, isso cansa viu, posso pegar o primeiro vôo e partir para uma ilha do Caribe?

Acho que toda mãe já pensou em sumir um pouquinho, pois literalmente não é uma função fácil, essas últimas 3 semanas minha vida virou de ponta cabeça, fiquei ausente das redes sociais (resolvi dar um tempinho para as mídias) e me dediquei a minha vida, tinha que colocar a vida em ordem.

Eu falo que tudo na vida tem um propósito e aprendizado, nada vem por acaso, mas as coisas comigo são assim, vem tudo junto e misturado, mas sabe, saí dessa maré brava mais guerreira do que nunca.

Marido ainda esta se recuperando do pequeno acidente que teve em casa, mas que preocupou a todos, temos que ficar espertos, pois uma garrafa caiu da geladeira, ele tentou segurar, mas não deu tempo, o vidro cortou o dedo dele e teve que fazer uma cirurgia. Esta com um braço imobilizado e a mãe que se virava em 2 precisou se virar em 4.

É escola, casa, horários, perrengues do dia a dia que não é fácil, sou mãe, assim como você, tenho meus dias bons e ruins também como você, tenho também minha vontade de sumir, assim como você também. Mas essa vontade logo passa quando encontramos na fé a força que precisamos para continuar.

Passei esses dias um pouco mais reclusa, me adaptando a rotina em casa, agora com o marido operado, dando conta de mercado, ballet, trabalho, loja, meu deus..

Mas como tudo na vida que vem, também passa, foi mais uma fase que enfrentamos juntos, unidos, família é isso né, juntos sempre vencemos os obstáculos.

Sei que esse post parece sem pé, nem cabeça né.. rss mas não é, só queria compartilhar que eu assim como vocês também tenho meus dias difíceis, que também choro, que também rezo pedindo forças e que no final, tudo dá certo.

Ser mãe 24 horas por dia, não significa dar conta de tudo ou simplesmente ficar em casa ou cuidar da casa, ser mãe 24 horas por dia é pedir ajuda, é trabalhar duro, é vencer os problemas e também curtir e cuidar dos filhos, assim como fiz esses dias, fiquei bem próxima da Soso que sempre me dá a força necessária para continuar.

Enfim, estou de volta novamente, não é uma tempestade que vai fazer eu me afastar daquilo que amo fazer que é escrever para vocês. Trocar experiências, dificuldades, alegrias e tristezas também.

E por aí, também como está a vida de mãe 24 horas por dia?

Beijos,
Kah



20
jul/2016
As mães também precisam de ajuda.

mae cansada

Não sei quem criou o rótulo “mãe perfeita”. Sempre escutei que mãe que é mãe, dá conta de tudo, trabalha, limpa a casa, cuida do marido, cuida dos pets, cuida da família.. ahhhhhhhh já parou pra pensar o quanto a palavra mãe é falado? Mas para, as mães também precisam de ajuda, sabia?

Eu me cobrava muito quando a Sophia nasceu e sinceramente, me cobro até hoje, mas melhorei, sim melhorei e muito a minha forma de pensar e aprendi que cada mãe é de um jeito e sinceramente, descobri que não era totalmente feliz quando ficava somente em casa.

Eu também larguei meu emprego quando a Sophia nasceu, como muitas mães fazem hoje em dia. Sim eu desisti da maternidade exclusiva quando a Sophia fez 1 ano e não, não abri mão de ajuda em casa. Porque sim, as mães também precisam de ajuda e descobri com a maturidade que nem toda mãe é feliz igualmente.

Precisamos entender que julgar não é o melhor caminho, cada mãe é de um jeito e não existe mãe perfeita. A profissão mãe é cansativa, demanda tempo, paciência e muita organização de tempo. Devemos saber a hora certa de pedir ajuda e é nisso que pecamos, não sabemos pedir.

Lembro que quando a Sophia tinha 1 mês, eu estava exausta com as mamadas noturnas, lembro que em uma das noites pedi ao meu marido depois de muito relutar se ele podia dar a mamadeira para a Sophia e ele disse sim, pensei: porque não pedi antes? sabe o porque? porque achamos que tudo é responsabilidade da mãe e não, não é.

Toda profissão tem que ter seu tempo de folga e isso aprendi também com o tempo, eu precisava de um tempo só pra mim. Egoísta? no começo achava que sim, mas não. Não é justo com a mãe ficar trancada em casa e não ter um tempo só para si. Porque quando estamos cansadas, não somos as melhores mãe, isso sim que eu aprendi.

Aprendi também que quando estou feliz, descansada e realizada, minha vida e minha paciência é muito melhor com a milha filha, então volta a dizer, as mães também precisam de ajuda. Temos que pedir ajuda ao pai, a vovó, ao vovô, mas devemos aprender a pedir, a saber os nossos limites.

Não estou aqui para ensinar a ser uma mãe perfeita, porque isso minha amiga, não existe, mas posso te mostrar o caminho da felicidade, e uma coisa te falo, você não precisa fazer tudo sozinha, divida, compartilha com seu parceiro. Você será muito mais feliz. Estamos juntas nessa!

Beijos,
Kah



23
jun/2016
Eu queria ter mais tempo com minha filha…

post - mae chateada

Ontem à noite, cheguei em casa super cansada. Sabe quando você começa a espirar, o nariz escorrer e seu corpo fica dolorido? Pois é, pensei comigo mesma, acho que a gripe me pegou.

Quando retornava pelo metro, eu só pensava em uma coisa, o sofá quentinho me aguardando. Uma chuva mais forte começou a cair e quando cheguei em casa estava sem energia. Os planos para um banho bem quentinho teve que ser adiado e minha filha estava um pouco assustada com o escuro e com uma lanterninha nas mãos, a coisa mais fofa.

Como não tinha muito o que fazer, resolvi ler meu livro que já estou no finalzinho (usei a lanterna do celular) e ficamos lá, Sophia e eu deitadas no sofá aguardando a energia voltar.

Depois de uma hora mais ou menos, o marido chegou em casa com uma sopa bem quentinha e a energia voltou. Hora de começar a rotina da noite (vontade de fazer isso era zero).

A Sophia não pensou 2x e pediu novamente para brincar comigo de massinha, já fazem 2 dias que ela anda louca para brincar comigo de massinha e eu dou uma enrolada nela. Quando deitei na cama, só queria ficar por lá quietinha e Soso veio deitar junto comigo. São nessas horas que bate o desespero de “menas mãe”.

Poxa, fiquei o dia todo fora, não vejo minha filha acordar pela manhã e quando chego a noite, estou cansada para brincar com ela? Que tipo de mãe eu sou? Percebi que não tenho mais tempo para a minha filha e isso me magoa muito. As vezes chego tão cansada do trabalho que só quero o sofá, ou a cama, mas e aí, como ela fica nessa história toda?

E as vezes a louca aqui ainda pensa em segundo filho. Como posso ter mais um filho, se não consigo dar o mínimo de atenção para o primeiro?

A noite é o horário que mais me bate esses arrependimentos, porque eu não brinquei por meia hora com ela? Porque só fiquei deitada com ela? Ela não tem culpa deu estar gripada ou cansada, não é mesmo? Ela só quer brincar.

Agora estou aqui, remoendo minhas atitudes de mãe e tentando ser alguém melhor, ter mais tempo para a minha filha, coisa que ultimamente tem sido muito difícil durante a semana. Tento não me sentir culpada, mas é quase que impossível. O que tenho que fazer para ter mais tempo para ela?

E vocês, como é por aí? Bate aquele sentimento de “menas mãe” também?

Beijos,
Kah